Rosas no caminho




Reli pequeno príncipe.

E esse pequeno livro tão conhecido e famoso por sua história simples mas ao mesmo tempo profunda, me deu uma lição, assim como faz sempre que é lido com o coração,como um amigo ou um irmão mais velho que repreende suas atitudes quando você merece por estar agindo como um idiota. Aliás, a vida não veio com manual de instruções, e possuí diversos momentos em que não fazemos absolutamente nenhuma ideia do que fazer, como reagir, o que sentir. Não há pra onde correr.

Mas sempre terá uma outra forma de ver a situação, e esse é o segredo que transforma tudo. Vou explicar.

Me vi diante de situações em que mágoas e decepções cresciam. Dar o melhor de si ás pessoas nem sempre é o suficiente, e se não tiver absoluto cuidado, seus sentimentos serão diminuídos a ponto de não existir lata de lixo que o aceite. Você se sentirá quebrado aos pedaços, e não terá sobrado empatia alguma que lhe faça entender algumas pessoas, que no caso, te farão de marionete. É fato, o mundo real não é fácil como nos contos de fadas. É preciso saber viver.
Mas isso não significa deixar de ser bom.

O Pequeno Príncipe, aos poucos, foi contando de onde veio e o que toma conta de seus dias. Seu planeta é pequeno mas tem trabalhos diários pra fazer, como limpar seus dois vulcões, tirar mudinhas de baobás e cuidar de sua rosa. Essa no entanto, a mais complicada, pois não sabia lidar com as exigências e modo com que a rosa agia, era longe de ser modesta, cheia de dramas e o deixava na maior parte do tempo frustrado. 

Não é difícil encontrar pessoas assim durante a vida. Essas na qual agem de acordo com suas vontades e visão, sem ao menos se importar com o próximo. Que traem, erram e falham dolorosamente e até mesmo constantemente com você. Uma coisa é certa, todos nós possuímos bagagens que alguém causou.

Ele então, resolve partir para conhecer outros planetas e em sua jornada descobre a rotina e o propósito de outros homens, até chegar na terra. Logo ele vê uma roseira e se entristece, já que sua rosa dizia ser única no universo. Como única se havia dezenas em um só jardim?
Mas também conhece a raposa, lhe ensina cativar (criar laços) e passa grandes lições.

O diálogo da raposa pra mim é o ponto alto de toda história. Toda raiva e mágoa que estavam a flor da pele por pessoas que me feriram, passou a ser refletida e desde então desnecessária.

"Sois belas, mas vazias. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é porém mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus a redoma. Foi a ela que abriguei com o para-vento. Foi dela que eu matei as larvas. Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.“ —Pequeno Príncipe.

"-Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar". - Diálogo Raposa e Príncipe. 
E tudo fez um estranho sentido. 

Compare á rosa do princepezinho com alguém que te deixou decepcionado, mas um dia, essa pessoa te cativou. Seja, na amizade, no amor ou na família, é tão difícil dar o tão esperado perdão. O caminho mais fácil, e de fato o que parece mais justo, é a raiva e o desejo de que a pessoa passe pelo mesmo. Que sinta o que você sentiu, ou até pior. Mas uma coisa eu digo: uma mágoa sendo alimentada é a ultima coisa que precisa dentro de você.
Se um dia essa pessoa te cativou, não é em vão essa fase ruim. A vida é cheia de situações de teste pra analisar seu amadurecimento, e para a conservação de sua paz,precisa de sair bem. O que vale mais que a sua paz? Algum vacilo, injustiça, erro de uma pessoa que achou que podia confiar? Tem certeza?. Pessoas erram. E acredite: você também.

Abrir sua vida a alguém é de longe uma tarefa fácil, ser decepcionado muito menos. Mas o tempo que gastou pra estar ali, tudo o que já fez, e todo tormento que sente, mostra de fato que é um assunto importante. O laço foi forte. É quem independente da pessoa, te fez sorrir um dia. Vai abandonar sua rosa? Tu é responsável por ela. Gostar de alguém, em qualquer tipo de relacionamento afetivo, é uma questão de escolha. Você escolheu aquele amigo, aquele namorado ou ser mais próximo daquele tio, portanto, escolheu lidar com o modo que o mesmo  age com o mundo. Se um espinho te feriu, não jogue a flor fora. Todos te feriram? plante de novo, espere o tempo que for pra ver voltar a crescer, mas volte. Faz parte da sua história.



Nem que seja necessário repetir a si mesmo, como fez o Príncipe.

Tenho muito trabalho a fazer, e você? Como anda o teu jardim?

2 comentários:

  1. Hey,me desculpe se vc não gosta de algum tipo de interação,porém eu sou nova aqui lendo seus textos tão cheios de emoção e ao mesão tempo com uma forte reflexão sobre o assunto.
    Assim como você eu também acho o diálogo entre a Raposa e o Pequeno Príncipe o ponto alto do livro (fiz a minha mãe decorar esse diálogo junto comigo).
    Enfim, tenho muito apresso por suas palavras e desculpe o incômodo.

    ResponderExcluir
  2. Oi Isabella, não sabe como seu comentário me encheu de alegria ❤ O diálogo deles me ajudou e ainda ajuda em várias situações da minha vida sabe? Muito legal saber que te inspira também (e a sua mãe).
    Obrigada mesmo! Seja muito bem vinda ❤

    ResponderExcluir